Nonsense consensual em forma de blogue.
Criado no dia 22 de Abril de 2012.

Nelma Viana - Figura de Estalo

+ 13 comentários

Estava eu muito entretido a folhear a típica revista de sala de espera, a Sábado, quando encontrei uma crónica da menina Nelma Viana. Fiquei maravilhado e, mal cheguei a casa, fui ler mais obras defecadas por a alegada jornalista.

Ainda não entendi bem o tema das crónicas mas parece-me ser moda e a raparigota, apesar dos seus tenrinhos 28 anos, possui o liberalismo de Goebbels, o bom gosto da Duquesa de Alba e o talento para a escrita do Tino de Rans.

No seu texto “Viagem de ida e volta aos anos 70”, entre outras alarvidades escreve:

Convenhamos, os 80 foram de uma piroseira tal que ainda hoje me arrependo de ter abraçado os leggings com pezinho e os kispos fluorescentes com tanta convicção.”

Tudo isto estaria muito certo salvo um pequenino detalhe que é o facto de a menina ter nascido em 1984 e só se ter vestido ou ter sido vestida “à anos 80” até à idade de entrar para a 1ª classe. Ou seja, para variar, não sabe do que fala. A propósito destes anacronismos críticos, escreve a Nelma:

E quem sou eu, que pertenço à colheita de 84, para comentar uma coisa que não vivi? Bom... numa primeira análise posso ser parva, intrometida, arrogante até”.

Ah, foi a estimada Nelma que disse, não fui eu. Pois, vejo-me obrigado a concordar, é parva, de facto. Ainda para mais quando escreve:

Hoje, os 80 servem única e exclusivamente para alimentar o ego hipster dos saudosistas da modinha. E façam o favor de atirar pedras todos aqueles a quem serviu a carapuça.“

Ó minha parva, tens noção de que ego hipster não significa nada? Tens igual noção de que ser hipster e saudosista da modinha são conceitos diferentes? Quer parecer-me que escreves como eu faço as sopas: atirando as coisas que tens a jeito lá para dentro e passando com a varinha mágica a seguir. Outra dúvida que eu tenho prende-se com uso das expressões idiomáticas. Ora bem, a quem serve a carapuça, atira pedras? Vá, tu consegues, pensa um bocadinho. Consegues perceber o disparate que escreveste? E continua:

Timelines à parte, o facto é que os anos 70, esteticamente, foram inspiradíssimos. Havia fatos-de-treino dos Iron Maiden, calças à boca-de-sino de veludo, golas altas que faziam sentido e cabelos que com meia dúzia de enroladelas toscas com o secador pareciam acabadinhos de sair de um episódio de Dallas.”

Não sabendo eu o que quer dizer com o raio da Timeline, cumpre-me informar a menina de que está um pouco baralhada. Os Iron Maiden apareceram em 1975 e são uma banda emblemática, veja lá, dos seus execráveis anos 80. E os fato-de-treino também. Depois mistura calças de veludo que, mais uma vez lamento, mas pertencem aos anos 60. Terminamos com o Dallas que, por acaso e só por acaso, foi transmitido entre 1978 e 1991. Anos oitenta, portanto. E os cabelos do Dallas eram tudo menos meia dúzia de enroladelas toscas”. A menina vai ter que rever a sua história. Ou usar o Google, sei lá. Experimente procurar Babyliss...

Já percebemos que não percebe. Passemos a outra crónica: “Antes a Cláudia Vieira que a Madonna”

Ainda estou a pensar nos anos oitenta. Aqui a menina Nelma mostra as suas true colors. Escreve o seguinte sobre a pobre da camisinha da Cláudia Vieira:

maminhas semi-descobertas sobre tule transparente não deviam encaixar nos requisitos do horário-nobre.”

Ó Nelma! Mas tu tens 28 ou 82 anos? Maminhas semi-descobertas? Ah, já percebi qual é o problema. As maminhas estão sobre o tule. Pois, assim, é complicado e um pouco ofensivo. Mas como é que conseguiram enfiar o tule debaixo das mamas?

E continua:

Mas bem vistas as coisas, o que sucedeu no domingo passado foi só uma escolha infeliz da produção do programa - tal e qual a de Paulo Bento quando escolheu Bruno Alves para assinalar o penalti”

Depois de ter aprendido muito sobre as décadas de 70 e 80, agora aprendi uma coisa nova. As grandes penalidades, no futebol, funcionam assim: o treinador duma equipa quando quer um penalty, escolhe um dos seus jogadores e pede para o assinalar. Para depois o executar suponho que seja o árbitro.

Mas há mais. A nossa Nelma tinha bebido uns copitos nesse dia e estava em chamas!

(...)isto é um daqueles exemplos de dupla moral em que se comprova a tendência de apontar de dedo a tudo o que é nacional, a Madonna, que é uma senhora de 50 e tal anos que já devia estar em casa a coser meias com um ovo de madeira, continua a insistir no exibicionismo (ora salta uma mama, ora uma nádega, ora um esfreganço genital num bailarino musculado que ainda só fez a barba duas vezes na vida) e é aplaudida de pé.”

Nelma, Nelma...não és nada careta, não senhora. A Madonna deveria estar em casa a coser meias? Começo a duvidar da historieta sobre teres nascido em 1984. De certeza que não nasceste no séc. XIX em Santa Comba Dão? Pensa bem...
Já agora explica-me, eu sei que sou burro mas tu és densa, o que é um bailarino que só fez a barba duas vezes na vida? O Barbas da Costa de Caparica a dançar quando o Benfica é campeão? Um puto de quinze anos que a Madonna anda a desmamar? Não percebo. Ah, só mais uma coisinha....”Apontar de dedo” é muito bom, Nelma. Fartei-me de rir.


28 anos...tão careta, a escrever tão mal e com emprego certo a rabiscar merdas para a revista Sábado. Dá que pensar.

Desculpa lá estar a apontar-te de dedo, ó Nelma. A tua coluna "Figura de Estilo" dever-se-ia chamar "Figura de Estalo" porque é aquilo que és: uma daquelas figuras que apetece cobrir de estalos.

E, já agora, que puta de nome é Nelma?







13 comentários:

  1. Gostei do toque final. Eu acho que a Nelma vive num mundo diferente onde as Timelines estão encruzilhadas. Por ora, o presente séc. XXI dela é o equivalente ao séc. XIX nosso. A menina não tem culpa, quem a empregou para tal posto é que devia ter olho e discernimento.
    Mas o que vende é o falar mal do que é nacional e o apontar "de" dedo como faz a Nelma. Ao que parece também se contradiz com o que faz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mais engraçado é que ela fala por falar sem puto de ideia sobre o que escreve. Ao menos, usava um pouco de Google e um bocadinho de bom senso. Além de senso comum. :)

      Eliminar
  2. Muito bom, excelente observação.

    ResponderEliminar
  3. Achei este teu texto soberbo. Isto é que é desmontar uma gaja!

    ResponderEliminar
  4. CLAP,CLAP,CLAP!Citando a Alexandra Moreira "texto soberbo".

    ResponderEliminar
  5. Rapazote, vai-te encher de moscas. E parva e a tua mãezinha!

    ResponderEliminar
  6. Rapazote, vai-te encher de moscas. E parva e a tua mãezinha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que insulto tão pouco hipster, ó Nelma. :)

      Eliminar
  7. Toma! Toma! :D

    Parabéns pelo texto Medinos.



    Beijo.

    ResponderEliminar
  8. AHAHHAHAHAHAHAHAHAHA, Oh Nelma, aqui não consegues escrever com acentos? Que estranho, para uma pessoa, supostamente, literada e que precisa de chamar amiguinhos para vir "mandar estalos". :)

    Eu sou de 81 e não me identifico nada com o teu artigo ridículo. Se calhar devias deixar de ser preconceituosa e passar a apreciar a vida. Isso ou começar a foder mais, porque é claramente o que estás a precisar. ;)

    ResponderEliminar
  9. É isso Nelma. Este Merdinos é certamente um gajo que nunca fez nada da vida, que vive à custa dos pais. Não faz uma pálida ideia do que é a vida e de como se escreve.

    De geeks que só são corajosos em frente ao PC está o mundo cheio, ohh rapazola!

    ResponderEliminar

Siga-nos por Email