Nonsense consensual em forma de blogue.
Criado no dia 22 de Abril de 2012.

Cosmo Pacheco, Parte 1

+ 4 comentários



 Directamente para o Medinos e Tangerine, a história do outrora famoso Cosmo Pacheco. Redigida pelo nosso autor convidado, Bruno Nogueira. Aplausos porque o Cosmo gosta.


Sabemos o quão difícil é sair da nossa aldeia, onde nascemos, crescemos, procriámos com gado, corremos nus pelos campos completamente desprovidos de pudor, e onde fazer a depilação seja em que sítio for, é considerado um insulto à mãe natureza.

Esta introdução leva-nos até à aldeia de pedregulho, onde um dos seus filhos mais pródigos (o 2º na hierarquia atrás de Alfredo Piçarra, famoso decorador de interiores de celeiros) começou a sua ascensão no mundo da indústria pornográfica, e que culminou com o reconhecimento máximo a que um actor porno pode aspirar, o famoso galardão em forma de orgão reprodutor masculino, feito todo ele em marfim importado à socapa do Quénia.

Falo-vos de Cosmo Augusto Djalmir Pacheco, um visionário de farta cabeleira, que em plenos anos 80 decidiu chamar para si toda a atenção da mídia focada na arte de bem cobrir.

Um certo dia, Cosmo, na plenitude dos seus 20 anos, banhava-se no tanque da aldeia, alheio aos olhares dos machos de pedregulho que lhe invejavam o porte, e ás insinuantes mulheres dos respectivos, que ao verem os seus maridos partirem para longas jornadas de caça ao javali, acolhiam Cosmo e o seu portentoso instrumento em busca de algum conforto. E o conforto trazido por Cosmo normalmente resultava numa ida ao posto médico da vila mais próxima, tal era a intensidade com que Cosmo confortava.

Modesto porém, Cosmo negava ser apenas mais um amante ávido de prazer, ele queria mais. E nessa tarde enquanto se refrescava no tanque, decidiu que ia deixar pedregulho rumo a Lisboa, cidade grande, onde os seus sonhos de se tornar funcionário público poderiam se tornar realidade.

Vamos continuar a contar esta ascensão na vida de Cosmo Pacheco num próximo texto. A chegada a Lisboa, o começo da vida enquanto trabalhador municipal, e o momento que o catapultou para o mundo porno.

Bem hajam.

4 comentários:

  1. Xiiii, o Cosmo. Essa lendia viva...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E, segundo o autor da biografia autorizada do Cosmo, ainda faltam uns capítulos. Vou aguardar.

      Eliminar
  2. Alguem me corrija se estiver errado, mas não era ele que participava em espectáculos de carácter erótico em Salvaterra de Magos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É esse mesmo. Mas já noutra fase da vida dele.

      Eliminar

Siga-nos por Email